CEU São Rafael ganha a quinta sala pública de cinema de São Paulo

28/04/2016 | Publicado por admin | Cultura, Destaque, Notícias

Até o fim de maio, serão 20 salas de cinema espalhadas por todas as regiões da cidade, sendo 15 delas em CEUs, que terão ingressos gratuitos

A Prefeitura inaugurou nesta quarta-feira (27) a quinta sala pública de cinema da cidade de São Paulo, localizada no Centro Educacional Unificado (CEU) São Rafael, no Jardim Rio Claro. Essa é a segunda sala aberta na zona leste da capital paulista, após a inauguração do espaço para exibição no CEU Quinta do Sol, no Cangaíba, na quarta-feira passada (20).

A nova sala se soma às já abertas nas últimas semanas nos CEUs MeninosButantã e Jaçanã. As ações fazem parte do Circuito Spcine, que até o fim de maio abrirá 20 novos espaços de exibição espalhados por todas as regiões da capital paulista, formando a maior rede de salas públicas do Brasil.

Com 400 lugares sentados, a sala de cinema no CEU São Rafael foi aberta com a sessão da animação “Snoopy e Charlie Brown”. Assim como em todas as 20 salas de cinema que formarão o Circuito Spcine, o espaço conta com equipamentos de projeção digital Christie 2D/2K, capacidade de fluxo luminoso de 10 mil lumens e sistema de som Dolby 5.1, importados do Canadá, com tecnologia de ponta.

Antes do início da sessão no CEU São Rafael, o prefeito Fernando Haddad falou sobre a importância do cinema no intercâmbio de ideias. “As pessoas que veem filme na televisão não sabem, muitas vezes, a diferença que é ver um filme junto com 300, 400 pessoas em uma grande tela. Podendo depois discutir, comentar o filme, fazer do cinema uma programação social. Porque você pode assistir filmes na frente da televisão, mas é diferente de assistir em uma sala desse tamanho, em um auditório desse tamanho, e podendo fazer disso um evento social. Um evento de intercâmbio, de troca. Trocar com seu amigo as impressões que você teve daquele filme, o que você aprendeu, o que o filme te ensinou. Essa é uma experiência única que só o cinema oferece”, disse ele.

Das 20 salas do Circuito Spcine, 15 serão implementadas em CEUs, sendo cinco na zona leste, cinco na zona sul, quatro na zona norte e um na região oeste. As outras cinco salas ficarão em equipamentos culturais como a Galeria Olido, no centro, duas no Centro Cultural São Paulo (CCSP), na rua Vergueiro, uma no Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes e mais uma na Biblioteca Roberto Santos, no Ipiranga. Os ingressos para exibições nos CEUs serão gratuitos. Nos equipamentos como centros culturais, custarão entre R$ 3 e R$ 8, variando de acordo com os locais.

A abertura dos espaços leva em conta um estudo da JLeiva que apontou que, na média de toda a cidade, 10% dos paulistanos nunca foram a uma sala de cinema. Nas classes D e E, esse número sobe para 30%. Quando todas as salas do circuito estiverem em operação, a Spcine estima que serão cerca de 200 sessões semanais, com expectativa de 960 mil espectadores por ano. O investimento total de equipamentos em todo o projeto foi de R$ 7,4 milhões, além de mais R$ 2,5 milhões para a operação das salas.

Programação
A programação das quatro salas já abertas está disponível em um site especial criado para o Circuito Spcine. Por meio da ferramenta, o cidadão pode conferir os filmes em cartaz, horários e datas das sessões. Entre os títulos que passaram e passam pelas telas das novas salas estão “O Menino e o Mundo”, animação brasileira que concorreu ao Oscar, “O Escaravelho do Diabo”, “Os Dez Mandamentos” e “Snoopy e Charlie Brown”.

A iniciativa da Prefeitura de criar salas de cinemas gratuitas se soma a outras ações no âmbito cultural desenvolvidas pela atual gestão, como o Circuito Municipal de Cultura, que tem 3.000 atividades gratuitas previstas para 130 espaços diferentes da cidade e o incentivo pela produção de filmes, como curtas-metragens.

“A SP Cine não vai apenas fomentar a produção de filmes. Vocês têm que ficar atentos, porque eles vão publicar editais convidando vocês a também produzir cinema. Então, a Subprefeitura de São Mateus não vai só assistir cinema. Se tiver alguém aqui que gosta de cinema, tem um roteiro na cabeça, tem uma história para contar, vocês também vão poder participar dos editais para fazer só o filme. Então você que é estudante, professor, se tiver uma ideia legal, uma história bonita para contar, vale a pena tentar. Porque daqui vão sair cineastas, vão sair roteiristas, vão sair atores, vão surgir artistas de todas as áreas”, disse Haddad.

 

1I29k1-8c1LzqLkwB_yWeA

Foto: Fernando Pereira/SECOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *